29 de setembro de 2006

Uma doida puxa a outra



Coisas em comum.
Interesses unem pessoas, movem nações, motivam guerras e tal e coisa
Boas amigas. Maravilhosas amigas. Uma sorte danada!
Mas tem umas coisas que é até constrangedor de explicar.
Eu sou louca. Louca mesmo.
Não, não é o discurso eu sou porra louca, muito doida e foda-se não.
O buraco é mais embaixo. É desajuste. É surto. Às vezes eu surto.
Tem época que é surto leve, que as pessoas que convivem no dia a dia acham graça, no máximo excêntrico. As que me conhecem bem e gostam de mim balançam a cabeça ou dão um suspiro e passam batido. Essa Patrícia... Ou então falam consigo mesmas, a Patrícia é doida. E ponto.
Mas tem época que o surto é mais forte.
O que acontece na realidade é que como eu sou inteligente, articulada, dou conta da minha vida, ajudo na casa da vovó, pago as contas em dia , sou uma mãe coerente, uma pessoa de bem e do bem, uma raladora , guerreira , esposa companheirona e amiga carinhosa mesmo do meu jeitão estovado – o meu psicodelismo fica camuflado. Ou pesa pouco na balança. Sei lá...
Acho até que eu surto é para dar conta da vida mesmo.
Porque eu sou dessas, que vivem sorrindo. Ah isso é mesmo. Encaro a pedreira que for, mas no bom humor (salvo honrosas e gravíssimas exceções)
Mas essa auto análise aqui que esse post virou é pelo seguinte: eu e Rena temos muitas coisas diferentes.
Eu já entendi que a gente é o avesso. Impressionante.
Mas o que nos une é a loucura.
Gente é verdade: um doido cheira o outro. E eu e Renata pulamos de cabeça na loucura uma da outra a ponto de às vezes não saber o que é doideira de quem.
Engraçado de mais.
Divertido de mais.
Catártico de mais.
Siamês de mais.
Cúmplice de mais.
Adolescente de mais.
Ridículo e preocupante – mas não de mais.
E quando formávamos um trio calafrio coma presença da Sílvia aí era realmente surreal.
Éramos As Garotas Superpoderosas.
Éramos As Panteras.
Interessante uma coisa: separadas somos desajustadas sim. Cada uma na sua paranóia.
Mas juntas, a situação fica crítica.
Impressionante o poder do surto coletivo.

By Patrícia que jura que mais louco é quem me diz que não é feliz.

Um comentário:

Chico disse...

Loucura...

todos nós temos uma...

Mas, cada um se acha o mais louco da face da terra...

é...faz parte da loucura...rss