30 de abril de 2006

A essa altura...

Quando a gente faz 30 anos, tem-se uma sensação de que se é mulher. Mulher com toda a amplitude da palavra. E velha. Ah, isso é inevitável! Claro que não acho que sou uma coroa, mas sei que já passei da idade de fazer muitas coisas. E nem me venha com esse papo de que a idade tá na cabeça. Fala isso quando a música alta no restaurante me incomoda, a risaiada dos adolescentes me irrita, quando se está numa festa onde a média etária é 20 anos. O que eu fazia numa festa dessas? Ah, não sou tão velha assim que não possa curtir uma roda de samba e feijoada.
E confesso que às vezes faço comentários do tipo gente, essas menininhas tão muito acabadas! Sou mais eu! E por um minuto acredito nisso mesmo. Na verdade por mais que eu perceba que estou numa fase ótima de ser mulher... hum...20 anos! e como diria Patrícia, o visso da pele...
Em tempos de Gianechinni e Marília Gabriela, o que pode ser tão surpreendente em uma balzaquiana(ainda não me decidi se esse termo me agrada) dar uns beijos furtivos no estacionamento? Nada, né?
Que nada! Me deparei com uma menina de 20 anos magoada porque aquele era o rapaz por quem ela era interessada. A essa altura não me imaginava numa cena patética dessas. Menina magoada, rapaz nervoso e eu gaguejando tentando ser a madura na conversa "para esclarecer as coisas entre nós". Quem é nós?!? Esclarecer a situação?!? Que situação?!?
Por hora, o que se salvou foi a sobra da feijoada.

29 de abril de 2006

O plano não era bem esse.



Eram sete da noite e eu estava procurando a Rua Guajajaras para deixar uma aluna no escritório do seu pai. Guajajaras, Guajajaras... lógico que conheço essa rua! Mas não tenho idéia de como chegar lá. Bom, a situaçao é a seguinte, carro sem som, uma menina de 5 anos que não podia me ajudar muito, um celular sem bateria e uma fome do cão! Esse regime de modelo ainda me mata! Mas estou procurando outras opções de carreira e ser modelo aos 30 pode ser o próximo filão do mercado(já que a cada ano eles inventam uma lista com profissões improváveis). Um orelhão! Estaciono o carro e ligo para confirmar o endereço. Ai a Lele sabia o celular de cor do pai! Garota entregue e pai feliz com uma taça de prosecco na mão. Recusar bebida? Claro que não!3 taças depois, Patrícia me liga. Tinha conseguido os convites para o show do Fábio Jr e eu havia combinado de ir e gritar Lindo! a cada 5 segundos. Não gosto de coroas, mas parecia ser a coisa certa a se fazer num show do Fábio Jr. Mais prosecco, o que me levou a contar o meu reveillon fracassado de 2003 e o surgimento da minha obssessão pelo Plano B. Meu Deus, como é o nome do bar do Plano B? Prosecco sem comida é igual a cabeça rodando...Liga pra Silvia, liga pra Silvia!!!
-Silvia como chama o Bar do Plano B?
Ainda bem que ela se lembrou porque senão eu nem teria dormido. Fico maluca quando esqueço algum nome!
Patrícia já estava descontrolada porque eu já havia perdido a hora.
Corra Lola, corra!
Tarde demais.
Cheguei em casa. E celular na mão de bêbado... Liguei... Realmente senti saudades dele. Mas não precisava falar tanto! Mas antes de me criticar saiba que o mundo rodava e as palavras teimavam em sair da minha boca. Acho que ele quis desligar umas 5 vezes, mas eu tinha tanto que falar! Ou repetir as mesmas coisas. Hoje eu tento consertar. Aliás, tenho que esperar Patrícia acordar e saber como foi o show sem a metade da laranja que acabou dormindo como um bagaço.
Ai Deus, falei da minha calcinha de Halloween! Deveria ter guardado para o show do Vando ou levado esse segredo para o túmulo.

Outra coisa

A Renata tentando ser mais firme, ser mais forte, ser mais ela - ela quer assassinar a Poliana Moça que existe dentro dela!Eu tentando ser mais calma (um dia , serei doce!), não gritar e brigar o mínimo possível. Brigas agora só para evitar uma úlcera.Sexta feira, agência de publicidade, clientes.A Renata, no msn fala assim pra mim: hoje vou vestir uma roupa e sair de casa.Renata,então vamos no show do Fábio Jr. Vou pedir convite pra nós.Convite pro show em punho.Convite para uma cerveja na Bahiana - eu preciso ir! Não é toda sexta feira que mães/esposas saem borboleteando por aí . E o Lino que preferia morrer a ver um show do F. Júnior me "liberou" para um programa solo na sexta. Na verdade o Lino me disse que se ele fosse solteiro ele iria para o show do Fábio, porque certamente seria o metro quadrado de BH mais cheio de mulheres. Mas como não é o caso...TELEFONE:Renata, Renata! Vamos tomar uma na Bahiana. São sete horas e daqui a pouco chego em casa. Vai pra lá agora!!!Patrícia, to aqui tomando um pro seco. Chego na sua casa antes das oito. Visto uma roupa sua e vamos.Fechado.Oito horas.TELEFONE: Renata, onde vc está?Estou saindo daqui Patrícia. Relaxa. Você já atrasou comigo um milhão de vezes.Renata não é questão de relaxar é questão de horárioPatrícia, estou saindo. Tu tu tu tu...Eu podia estar matando, eu podia estar roubando, eu podia estar berrando com a Renata.Mas não. Fui ao banheiro, lavei o rosto, escovei os dentes, passei batom e deixei o seguinte recado : diga a ela que eu relaxadamente FUIE fui.Cerveja na Bahiana - bom, muito bom. O Felipe tava lá.Show do Fábio Jr - telefona não deixa que eu fuja, me ocupa os espeços vazios...Em casa 1:20 da manhã.Tá bom.Sabe que horas a Renata apareceu na minha casa? as 9 da noite. Se eu estivesse esperando, não estaria agora contando a história. Estaria presa: homicídio doloso.

28 de abril de 2006