16 de outubro de 2006

Cerejinha

- Alô?
- Alô!
- Oi, é você?
- Sim. Não acredito que seja você depois de tanto tempo!
- Desculpa ligar nesse horário é que aconteceu uma coisa que eu acho que você deveria saber.
- Não precisa se desculpar. Fico feliz que você tenha ligado.
- Pois é, menina. Quanto tempo! Que saudades...
- Nem me fala. Mas e aí?
- Ah, tanta coisa! Virei macrobiótica!
- Não me diga! Macrobiótica não é aquele lance naturalista, ou é?
- Não, não. Macrobiótica é um pouco mais radical que vegetariano. Não como ovo, por exemplo.
- Que máximo! Acho que era algo assim que eu precisava para minha vida. Que bom que você me ligou.
- Você está mastigando?

- Sim.
- O que?
- Estou comendo milho com arroz. E ovo.Quase uma refeição macrobiótica. Pelo menos sem carne!
- Gente que gracinha, um prato amarelo e branco. Eu vou fazer um estudo para combinar a alimentação com as cores e tendências da estação. Não é uma ótima ideia? O seu prato sempre na moda!
- Que coisa...
- Nossa amiga, 500 minutos!
- É mesmo, 500 minutos por mês!!!
- Você se casou?
- Casei e tenho uma filha.
- Não acredito. Crianças são uma benção, não é mesmo!
- Menina, demais.

- Crianças são o futuro. Só de pensar nelas meus olhos se enchem de lágrimas...
- Eu também, nem me fale. vejo que você não perdeu a sua sensibilidade.Você deveria ter filhos.
- Não, obrigada. Ainda não consegui nem parar de comer carne. Mas não uso peles.
- Nem de guaxinim? Acho um luxo!
- Não, não. Sou modelo do Greenpeace.

- Poxa eu acho um charme aqueles chapeuzinhos de pele com o rabinho pendurado.
- Pois é, não uso.
- Que mais? E Playboy, pensa em fazer?
- Prefiro a Vip. Já fiz 3 vezes e estou cotada para ser a próxima capa de aniversário, se bem que a Cica...
- Eu sou divulgadora.
- Que exótico!
- Saio por aí colando cartazes. Assim, nos bares.
- Parece ser divertido.
- E é. Tenho minha própria empresa.
- Fascinante. Aliás, você sempre surpreende! Lembro-me do dia que você usava, como dizer, uma calcinha de cor cítrica, amarelo-limão.
- Eu tava de saia?
- Não! A calcinha era mais alta que a calça.

- Ai amiga, aquele tempo era mágico.
- Muito mágico mesmo...
- Quantas loucuras!

- Éramos tão amigas. Como será que nos perdemos?
- Não pense assim. Que bom que você reapareceu agora.
- Nossa, parece que foi ontem que nos vimos.
- Imagina se nos falássemos todos os dias? Nem teríamos mais assunto.
- Pior que é. Agora temos muito o que colocar em dia.
- Olha que coincidência você aparecer justo no dia dos professores! Isso é um sinal. Nos conhecemos no magistério!!!


- Não foi?Eu acho que tem tudo a ver.
- Demais.
- Você é a cereja do meu sorvete.
( a partir daí o diálogo verídico sobre assuntos sulrreais foi interrompido por uma crise de riso).

By Renata e Patrícia em dia que a falta do que fazer reinou. O nosso amor a gente inventa. Assim como o que falar.

2 comentários:

Cuca disse...

Seria este diálogo uma viagem motivada pelo ácido??????????????????????????????????????????????????????

ADOREI!

Parabéns meninas, vocês são a frente do tempo.

Miss Supahstah disse...

heheheheheheeh!
Achei bonito! hehehe...