23 de novembro de 2006

Se eu te encontrasse


Os olhares se encontraram quando ainda estavam cada um na sua calçada. Ela foi em sua direção. E veio o abraço. Depois de 10 anos. Deu para reconhecer o cheiro. Sentir o corpo. Por 1 minuto a dúvida na cabeça: "Será que é esse mesmo o cheiro?" Mas era.
Não foi um abraço emocionado, nem desesperado. Não eram velhos amigos. Foram apaixonados.
A paixão que sentiam foi o que os afastou. Muitos sentimentos e pouca experiência para fazer com que virasse amor. Pessoas guiadas pelo desejo acabam perdidas.
A conversa foi trivial. Ela de braços cruzados e ele realxado na cadeira. O corpo fala, obrservou ele. Ela concordou. Não tinha porquê esconder seu desconforto.
Falaram de exs-amores, carreiras e planos de vida.
Ele se surpreendeu ao saber que teria sido ele a maior paixão da vida dela. Achava que não havia marcado tanto já que nunca mais se falaram. Ela explicou que não se falaram mais justamente porque ele a marcou tanto.
Ele não se casou de novo.
Sentada diante dele, hoje com cabelos grisalhos, ela pensava que nunca ficaram tanto tempo no mesmo lugar sem se tocar. Ela não sabia mais se o conhecia. Ele fez questão de frisar que nunca a esqueceu e pensa nela escrevendo ao ar livre. Ela gostou da cena. Já se imaginou assim tantas vezes!
Quando ele sorri, os olhos se fecham, mas a mania de mexer nos cabelos é nova.
O jeito dela continua engraçado, mas as roupas estão muito formais.
Ele tinha que ir embora. Ela o acompanhou até a calçada.
E veio o abraço. Dessa vez ela se deixou ser abraçada e quis tanto que o momento perdurasse.
Ela também o abraçou e ficaram assim até as pessoas na rua comentarem.
-Então... tchau!
-Tchau. Beijo.


By Renata que acredita que a maré está pra peixe, que quem brinca com fogo pode se queimar e que quando se morre, a terra come.

Bruno, obrigada pela foto inspiradora!



3 comentários:

Edinho disse...

"é o olho do tarado
o olho do marvado
ele que te abugalhar
ele quer te comer
olha lá o tarado..."

hehehehhehe

Vinicius Costa disse...

Estranho demais essas sensações causadas por um reencontro, né? Às vezes parece que a sintonia sumiu, e a gente se pergunta "O que mudou?"...

É, acho que estou falando de mim :)

Anônimo disse...

Adorei esse texto, e sinceramente, gostaria de tê-lo escrito pq é exatamente o q vivi, o q senti, no meu reencontro.
Vc é mto talentosa menina.Parabéns!!!