20 de junho de 2006

Como um mutante

Ma falta inspiração. Pode não parecer novidade, mas me agonia muito perceber que a vida não é tão colorida. Será que padeço do mesmo mal que abala nossa seleção? O time tecnicamente é ótimo, mas na prática não rende o esperado. Talvez eu seja um pouco assim. Poderia ser mais que sou. Poderia ir a lua se quisesse. Ou ao menos ir mais adiante. Não sou acomodada, ou não me vejo assim.
Das amigas de infância, já era a quarta ou quinta a se mudar de estado ou país. Eu nunca saí do bairro. Frequentemente, chegam e-mail das pessoas comunicando a mudança de e-mail em função do novo emprego ou cargo. Tenho o mesmo emprego há 10 anos. O mesmo corte de cabelo, o mesmo número de telefone, o mesmo destino nas férias, o mesmo carinha interessado, os mesmos problemas com os pais, os mesmos amigos, a mesma mania de fazer amigos, continuo tagarela, gostando de axé, odiando sertanejo, assistindo fórmula 1, lendo sobre mitologia, frequentando o mesmo salão, viajando muito para o Rio. A lista é interminável e cansei de tanto gerúndio!
Ainda não me decidi se isso é bom ou ruim. Mas acho que está na hora de pensar em algumas mudanças. Talvez o corte de cabelo, talvez de cidade. Não que esteja cansada de mim. Continuo sendo a minha pessoa preferida. Por isso mesmo acho que minha vida merece novos ares. Mais oxigênio. Mais inspiração.

By Renata que não tem medo de escuro, nem de cara feia. Mas se sente mais segura entre os seus.

2 comentários:

Anônimo disse...

Renata !

Às vezes mudamos nossa vida de uma forma brutal, e quando menos percebemos, estamos de volta ao ponto de onde saímos.
A vida é um verdadeiro ciclo de altos e baixos, idas e vindas, e cabe a nós aproveitá-la da melhor forma, sem se arrepender do que fizemos ou deixamos de fazer.
Vinícius.

Vladimir disse...

Acredite, isso tem um lado bom forte. Eu mudo demais e acabo ficando desenturmado, como tenho estado nos últimos tempos.
Bjs