30 de novembro de 2008

. amar sem fim


A casa dele fica no caminho para a minha. Mas ele disse que está prestes a se mudar. Provavelmente, continuarei passando pela casa da esquina e reduzindo a velocidade mesmo na ausência de uma placa de PARE.

Não há tempo no mundo que me faça esquecer, mas ainda assim é bom que de quando em vez, a gente se veja e se reconheça como o primeiro amor.






By Renata que fala tanto mas às vezes não sabe o que falar.

2 comentários:

Antonoly disse...

Para ser bem clichê: O primeiro amor a gente nuca esquece rsrsrsrrs.
Beijos nas duas!

HoneyBee disse...

Olá, Rê! =)

Acho que nasci predestinada ao caos amoroso, pois o meu primeiro amor, antes de mais nada, foi a minha primeira grande decepção.

Pelo menos fiquei vacinada contra as que viriam a seguir.