28 de julho de 2008

Foi uma vez


Gosto de você sem o mínimo limite, sem noção de certo e errado.
Gosto de você apesar de.
Gosto como se gosta de alguém da família. Sem esperar ou receber nada.
Gosto porque gosto.
Você é o que eu conheço sobre amar.
E muitas vezes por amar mais a você, eu fiz de conta.
Fiz de conta que não ligava quando lhe ouvia falar de outra.
Fiz de conta que foi normal você levar alguém para o meu reveillon.
Sentar-me à mesa com você acompanhado? Fazia de conta que era tranquilo.
No meu mundo de faz de conta, você me amava a seu modo, sem desejo.
Fui mãe do seu filho e você, parte do meu viver.
Indissociável de mim.
Por não saber mais o que inventar, faz de conta que você morreu.
Fim


By Renata que é discípula de Nietzsche "o que não me mata, me torna mais forte".

11 comentários:

Pedro Junior disse...

´´otimo texto gostei, mts vzs é melhor fecha os olhos por um tempo, mas nunca fugir da realidade.
A frase de Nietzsche ótima, tenho lido algumas coisas sobre o mesmo muito bom!

t+
bjs

greatdj disse...

Muito legal mesmo.
Ainda bem que deu certo para você conseguiu o que queria!
^^

Dário Souza disse...

é tao bom saber que a semente do amor nao esta somente em nós,mas em todos.

Lucas Fernandes disse...

Nietzsche é realmente fantástico. Bem, penso que encarar a realidade é sempre o melhor caminho. O problema é quando a realidade fere sentimentos.

Bom texto!
___________________________________
http://semfronteirasnaweb.blogspot.com

Anônimo disse...

seus textos são tão bons! Adoro seu blog e ótimo ver q vc está escrevendo com mais frequência...
Td de bom pra vc.

Daniel disse...

onde é essa foto? muito irada..

Rosinha disse...

Mto bom o texto!! Gosto dos textos que são assim!!

http://rosarenan.blogspot.com/

Chris disse...

Já passei por situações assim, mas não consegui fazer de conta que ele morreu...

bjs!

http://series-etc.blogspot.com/


.

Anônimo disse...

Seus textos são bons! Vc passa a impressão de amar sozinha, de viver amores platônicos, isto não é bom.
Boa Sorte

jubliana. disse...

Porque por fim, uma coisa puxa a outra e era o melhor que podia acontecer.

Francisco Jamess disse...

entendo tudo que tá escrito aí.
de vez em quando tenho um amor desses também. aí chega uma hora que o amor acaba, e a pessoa nunca sequer sabe do que eu sentia.