11 de janeiro de 2007

Eu hoje joguei tanta coisa fora

A velha analogia entre arrumar as gavetas e colocar as idéias no lugar talvez sirva para mim. Mas a verdade é que tenho muita coisa para arrumar, consertar, jogar fora, limpar, organizar... A começar pelas idéias soltas na cabeça.
Que a vida é feita de escolhas, todos nós sabemos.
Quando se deve fazê-las, não é tão simples assim.
E por não saber para que lado seguir, às vezes a gente fica parado no lugar ou vai de acordo com a maré.
Deixar a vida me levar, é mais poesia do que receita de vida. Em algum momento, temos que ser responsáveis pelos nossos atos.
Culpar o divórcio dos pais pelo seu fracasso amoroso, passa a ser patético a uma certa altura.
Crescer é uma das escolhas mais difíceis. A gente passa a vida querendo completar 15 anos para debutar, 18 para dirigir, 24 para se formar... mas qual é a idade certa para se começar a fazer escolhas certas? As escolhas que definirão sua vida pelos próximos 50 anos?
Começar a pagar uma aposentadoria privada, decidir qual o tipo de família quer formar, aluguel ou finaciamento...
Parece certo seguir o roteiro mais comum, afinal é para onde as coisas caminham. Mas o caminho pode não ser bom para todos, portanto viver se trata de escrever a própria história. Com direito a participações especias, trilha incidental e recomeços. Só não vale deixar que outra pessoa faça o seu papel: o de protagonista.
By Renata que está toda prosa com o primeiro lugar do blog no III Concurso de blogs-categoria Pessoal.

Um comentário:

Marcinha disse...

Meninas, adorei o texto...
E parabbéns pelo Concurso.

bjao