15 de abril de 2009

Love

Não há quem tenha a definição acertada
o exemplo mais cabível
a palavra que resuma.
Todo mundo quer para si
nem todos o reconhecem

muitos juram que não existe.
Nem sempre é recíproco
Coisa rara

Metafísica.

Um pouco física
e muito de alma.
Ideal

Ridículo

Possível

Sorte

Entrega e fé.





By Renata que vai tentar deixar o barco correr. Sem pres
sa.

5 comentários:

triice mayumi disse...

Acho que o amor é a vida, não só o amor carnal de uma mulher com um homem, mas também o amor que existe entre uma mãe e um filho entre amigos e entre tudo que haja na vida! ninguém consegue explicar a vida em si, apenas se tem certeza da morte, acho que o amor é mais ou menos assim.

http://justusandme.blogspot.com/

Bruno disse...

Que lindo poema...
gostei daki.

me visite.

Nat Valarini disse...

Olá mocinha!

Que poema belo!

Adoro quem consegue retratar o amor sem ser piegas. Afinal, amorosidade não precisa caminhar junto com 'melosidade', né?

rs...

Admiro quem consegue fazer um bom poema. Apesar de escrever muito, a poesia é um caminho pelo qual eu não me aventuro há tempos...

Kiso

PS.: O visual do seu blog está super bonito. Combina com a proposta do blog e com sua personalidade.


Conferindo...
.
http://garotapendurada.blogspot.com/

Prolixo Lacônico disse...

Belo poema!

Fernando disse...

curti muito seu estilo!
já participou de concursos literários?
se não, deveria. vc leva jeito