17 de maio de 2007

Auuuuuuuuuuuuu

"Homem gosta de cachorra!" Diante desta afirmativa, as duas se olharam e começaram a treinar latidos, grunidos, caras e bocas. Saíram com a intenção de abalar! O bar escolhido tinha bastante potencial. Leia-se: homens! E as duas assim que chegaram anunciaram a nova empreitada. Os meninos apoiaram, claro! Quanto mais, melhor! Bom, chamamos de cachorra não a vagabunda, mas a mulher que dá o que é seu quando quer. Sem falsos moralismos. Nada mais justo.
Nada mais difícil do que se livrar da cara de boazinha... mas se os homens não querem ser bonzinhos, eu também não quero ser Amélia. A única mulher que andou no trilho, o trem matou.
Alguns guaranás diet depois(a dieta tá firme), a lordose atacou de tanto ficar em pé e fazer pose. Hora de dar tchau para os amigos e para o projeto cachorra. Durou umas 3 horas. O suficiente para saber que quem nasceu para dez réis, não chega a vintém. E isso não é nada ruim.

By Renata que sabe que gato que mia também morde!

4 comentários:

bloublembLOG disse...

Renata Andrade,
desculpa, mas morri de rir com a Catarina no colo, com o final do texto... é, temos 30 agora...
maravilhoso poder ler coisa nova no blog mais delicioso de se ler de toda a net...
bjão!

Tonho

Dani Vidal disse...

Oi Rê,
sabe que já andei pensando sobre isso também? E o assunto durou umas duas horas de intenso debate com umas amigas ... Ja pensei em fazer um curso intensivão pra cachorra com uma amiga que é expert nisso.
Mas não levo jeito... lutar contra a natureza não é facil
risos
=D

Paulo Bocão disse...

A cachorra é a melhor que está tendo no mercado, mas além do pedigree tem que estar vacinada. O dia ideal de se sair com a cachorra é qualquer dia, mas preferimos aos sábados, que rola banho e tosa. Se tiver pulga, agente espanta com fumaça de cigarro.
Abrá!

Helder da Rocha disse...

Adoro cachorras selvagens. Elas mordem, ferem, mas despertam as tentações mais primitivas. Arriscamos a vida para domá-las e fazê-las miar como gatinhas. Se fosse fácil não teria graça.