15 de fevereiro de 2007

Errata

Erros ortográficos me causam mal estar. Não consigo passar por um dezejo sem sentir o desejo de corrigir. Geralmente uso a desculpa de que sou professora e a correção é um automatismo.
O que é totalmente falso, já que trabalho com quem ainda não se alfabetizou. Mas dessa forma, sinto-me menos antipática.
Haja paciência(e não aja) para uma enxurrada de equívocos com a lei. Sim, com a lei no. 5756, de 18.12.71, para ser mais precisa. Houve um tempo em não existia lei ortográfica e as pessoas escreviam de acordo com a fala. Assim, menino em Minas virava mininu. Ortografia é um valor simbólico e não necessariamente mede a competência linguística de quem escreve. Mas definitivamente mede a minha tolerância.
A internet fez com que a língua escrita se tornasse uma ferramenta bastante utilizada. A Internet trouxe de volta aqueles que fugiram da escrita. Quem jamais havia escrito algo além de seus nomes próprios foi obrigado a elaborar uma mensagem para seu chefe ou namorada. Ou para reclamar ao fabricante a inoperância da sua recém-adquirida geladeira. De repente, a palavra articulada em frases tornou-se a chave para ganhar tempo. A fala perdeu espaço para a escrita. A internet estimula as pessoas a se comunicarem através da escrita. E-mails substituíram as cartas; mensagens instantâneas pelo ICQ ou MSN são os bilhetes modernos. E com tanto dinamismo a escrita sofreu alterações: vc, kd, bjaum, e outras palavras que eu não consigo ler. Certa vez, me contaram que a idéia é que nem todos possam ler mesmo. Algo como uma linguagem própria, como os símbolos que as adolescentes usavam nas agendas na década de 80. Mas as abreviações, das quais eu também faço uso, tentam ganhar tempo na comunicação digital, uma aproximção do tempo da fala real.
Tentarei ser mais condescendente. Afinal tudo que é vivo é passível de mudança. Inclusive eu.


By Renata que tem coisas mais importantes com que se preocupar.

3 comentários:

Wagner disse...

o que acho um absurdo de erro ortográfico é o famoso "ancioso(a)"
Realmente incomoda muito.

Samir Osório disse...

Eu não acho mais nada um absurdo. Antes eu pensava assim. Mas todos têm o direito de errar mesmo nós podemos não saber uma palavra..para quem não lê então...E eu nem sou contra a linguagem da internet não só acho que ela não pode sair daqui. Achei interessante quando você disse que podia mudar de opinião...Esses dias eu ouvi uma frase muito interessante : "O humilhante não é mudar de idéia e sim não ter idéia para mudar."

Paulo disse...

Vosê istá sertícima...concordu.